O que esperar de cada grupo dos brasileiros da Libertadores?

libertadores

Na noite desta quarta-feira aconteceu o sorteio que definiu os jogos da fase preliminar da Taça Libertadores da América 2018, além é claro, dos grupos do torneio mais importante da América do Sul. Diversos duelos de peso já marcam a fase de grupos e os brasileirão não terão vida fácil. Separamos uma análise grupo a grupo das equipes brasileiras, veja:

Grupo 1: GRÊMIO, CERRO PORTEÑO, DEFENSOR E MONAGAS

Entre os brasileiros, o Grêmio foi o que pegou o grupo mais acessível. Campeão paraguaio, o Cerro Porteño tem tradição na Libertadores, sempre presente, porém nunca ganhou um título. Tem um bom time e é o principal rival do Tricolor. Já o Defensor leva a tradição uruguaia a campo, enquanto o Monagas, é o campeão da Venezuela, mas não deve oferecer perigo aos brasileiros.

Grupo 4: RIVER PLATE, EMELEC, FLAMENGO E G-1 (Santa Fé, Macará, Tachira, Santiago Wanderers ou Melgar)

O Flamengo pegou um grupo difícil. O River Plate promete bastante investimento para a Libertadores 2018, e apesar do campeonato argentino ruim que faz, com a camisa que tem, deve chegar como um dos favoritos para o torneio continental no próximo ano. O Emelec é o atual campeão equatoriano e ainda tem o fator altitude para ajudar. Se os colombianos do Santa Fé conquistarem a última vaga, este aqui será sem dúvidas o grupo da morte e não será nada fácil para o Rubro Negro Carioca avançar ao mata mata.

Grupo 5: CRUZEIRO, UNIVERSIDAD DE CHILE, RACING E G-3 (Vasco, Concepción, Wilstermann, Universitario ou Oriente Petrolero)

Mais um grupo complicado para brasileiro(s). O Vasco enfrenta adversários mais fracos nas primeiras fases e tem ótimas chances de chegar à fase de grupos. O Racing seria o principal rival dos brasileiros. Os argentinos sempre complicam na Libertadores. Já o Universidad do Chile é um time tradicional e também pode dificultar para os adversários.

Grupo 6: SANTOS, ESTUDIANTES, REAL GARCILASO E G-2 (Nacional, Chapecoense, Independiente del Valle ou Banfield)

A Chapecoense tem vida duríssima nas primeiras fases da Libertadores. Primeiro enfrenta o tradicional Nacional do Uruguai e se avançar, pode pegar o finalista do torneio em 2016 ou uma equipe argentina. Já o grupo não é dos mais complicados, mas é preciso foco do Santos. O Estudiantes sempre incomoda no campeonato continental e é o principal rival do grupo. O Real Garcilaso foi vice-campeão peruano e será mais difícil do que parece. Já a última vaga, qualquer equipe que conquista-la, tem condições de brigar por uma vaga no mata mata.

Grupo 7: CORINTHIANS, INDEPENDIENTE, MILLONARIOS E DEPORTIVO LARA

Pela força do Corinthians, a equipe é a favorita do grupo. Terá pela frente um Independiente desmanchado e enfraquecido, porém, não se pode menosprezar o maior vencedor da história da Libertadores. O Millonarios é um bom time e é dirigido por um técnico experiente, campeão do torneio em 2007 com o Boca Jrs., Miguel Angel Russo e não será um adversário fácil. Já os venezuelanos do Lara devem ser o saco de pancadas do grupo.

Grupo 8: BOCA JUNIORS, PALMEIRAS, ALIANZA LIMA E G-4 (Carabobo, Guaraní, Olimpia, Montevideo Wanderers ou Junior de Barranquilla)

O Boca Juniors é o principal rival do Palmeiras no grupo. Atual líder nacional, os argentinos tem muita tradição na Libertadores e será um dos favoritos ao título em 2018. O Alianza Lima se classificou como campeão peruano e será um adversário duro. Na última vaga, se o Olímpia se classificar, teremos três campeões sul-americanos no mesmo grupo, que não será nada fácil para o Alviverde Paulista.

 

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *